Difícil nomear…

Queridos,

Saí do Brasil há exatas 2 semanas e não tenho tido tempo de dar a devida atenção ao blog.
A razão disso é que ando fazendo tanta coisa, vendo tanta coisa,  que é difícil parar e pensar em tudo isso.
Hoje, um dia antes de ir para o Logos Hope, é que decidi que iria descansar um pouco corpo e mente antes de ir (e não me arrependo nenhum pouco disso 🙂 ).

A verdade é que muitos sentimentos passam pela minha cabeça agora e é uma tarefa um pouco difícil nomea-los (garanto que são bons sentimentos!!!).
Nestes dias conheci pessoas interessantes, visitei lugares LINDOS, aprendi a apreciar a beleza da cultura tailandesa,  passei momentos de apuro em um barquinho em meio a uma tempestade, passei frio, muito calor, comi coisas gostosas e outras nem tanto (rs lesmas se encaixam nesta categoria), dormi em 4 camas diferentes sem contar as noites em aviões, andei de elefante, me deitei ao lado de tigres, cumprimentei um macaquinho, tomei banho de cachoeira,  tive momentos em que tive que confiar em lugares e pessoas estranhas (e em uma ocasião até passei por um susto) e em outros fui surpreendida pelo cuidado que Deus teve em cuidar de cada detalhe da minha viagem até aqui.

Estas semanas tem sido ótimas e melhores do que imaginei e a partir de amanhã sei que minha rotina será completamente diferente,  mas como tenho dito à amigos mais próximos: eu não poderia estar em um lugar diferente. Estou exatamente onde deveria estar 🙂
E isso já é motivo suficiente para saber que tudo tem valido a pena.

Hoje tenho um misto de emoções – ânimo,  curiosidade,  felicidade,  saudade (muita), emoção.
Hoje ficarei eu com meus pensamentos,  descansando um pouco na minha casa aqui em Phuket,  me preparando para ir ao porto amanhã.

Não sei o quão conectada estarei a partir de agora, mas quando puder contarei um pouco de como tem sido a experiência.

Deixo meu MUITO OBRIGADA à minha família e amigos que tanto tem me apoiado. Vocês são a cereja do meu bolo 🙂

Beijos à todos.

E…começou! :-)

Ok, eu prometi atualizar esse ‘diário de bordo’ (embora eu NÃO goste de escrever em blogs, na verdade), então…Após 20 e poucas horas de vôo, comida apimentada,  café com leite e não entender as línguas que vi e ouvi, cá estou 🙂

Digam o que quiserem, mas eu gosto de despedidas…! Gosto do lance de arrumar motivo pra comemorar com os amigos, de rever aqueles que a gente não vê há algum tempo ou mesmo se despedir várias vezes das mesmas pessoas que eu já via todos os dias. Chorar eu choro mesmo…como se fosse passar muito mais do que 4 meses fora,  mas faz parte do processo 🙂
Não consegui abraçar todo mundo que quis, infelizmente,  mas como um amigo me disse, não estarei ausente por 40 anos…São só 4 meses!

Antes de embarcar tive ótimos momentos em família e com amigos e é um dos motivos que gosto de despedidas também: motivo pra reunir a família toda 🙂

Deus tem me abençoado MUITO com a família e amigos que tenho e tem, acima de tudo, me proporcionado toda essa experiência que começou hoje.

E é isso que quero compartilhar com vocês.
Vamos lá então…!

Como minha primeira parada antes de ir para o Logos Hope, escolhi Bangkok para ser a cidade que vou conhecer e me aventurar um pouquinho antes de começar
a ‘trabalhar’.
Ouvi ótimas coisas sobre o povo tailandês e por não precisarmos de um visto antes de vir, achei que seria um destino fácil (e barato).
Já chegando no aeroporto senti a hospitalidade dos tailandeses. O taxista não falava muito inglês,  mas ao perceber que não conhecia o endereço do meu hostel, ligou do celular dele para o hostel para saber como chegar. Falando com o taxista tentei praticar as palavras/frases que trouxe do Wikipedia comigo e já foi legal. Contei que gosto de muay thai e ele disse que luta (!!!). Acho que todo mundo aqui deve lutar bem 🙂

image

Vou mencionar algumas vezes aqui que acho tudo muito barato nesse país… taxi do aeroporto pra cidade, comida, massagens (hmmm..), o que é ótimo!

Saí para dar uma volta no bairro onde estou hospedada e, entre uma chuva aqui e ali, consegui passear um pouco.
Ao caminhar pelas ruas percebo vários locais de massagem (também,  super baratos), e fiquei tentada a começar meu período de experimentar de tudo um pouco. E acabei colocando meus pés em um tanque cheeeeio de peixinhos que tinham como único objetivo comer meus pés (ou melhor, as células mortas deles).

image

image

Nem preciso dizer que a sensação é, no mínimo, esquisita,  né? ! Mas, claro… faz parte do processo e foi super legal experimentar 🙂

Andando um pouquinho mais e procurando uma comida rápida,  fui logo pelo Pad Thai, que já tinha experimentado nos EUA (but here is the real thing…!).

image

image

E assim foi o primeiro dia 🙂

Cansada pra sair explorando a cidade (e sem dormir direito há não sei quanto tempo), deixo este post por aqui.
Claro que não conseguirei mostrar todos os meus dias por aqui, mas enquanto eu conseguir,  o farei 🙂

Beijos à todos!

Preparação pré-viagem

Image

 

Aos que tem acompanhado minha mais nova aventura e aos que ainda não tem, lhes dou um update 🙂

De passagens compradas, roteiro definido, vacinas tomadas, sigo no meu processo de ir nesta ‘missão’.
Esta foto aí em cima é do navio Logos Hope, onde viverei por três meses, a partir de Agosto (é… eu ainda não aprendi a nadar, mas estou indo morar em um navio! rs), pela Ásia.

Ok, imagino que queiram saber o que vou fazer em um navio, na Ásia, com outras 400 pessoas que não conheço e sem saber exatamente o que irei fazer lá dentro. Vou tentar explicar 🙂
O Logos Hope é um projeto da OM Ships e tem como objetivo levar conhecimento através de literatura, ajudando pessoas em situações de extrema necessidade e levando mensagens de esperança ao redor do mundo.
Durante este período passarei por: Tailândia, Sri Lanka, Omã, Qatar, Bahrein e Emirados Árabes Unidos

Por quê estou indo?

Depois de um tempo procurando algo que me permitisse ter uma experiência pessoal com Deus, agregando trabalho voluntário/serviço social e conversando com outras pessoas que já foram neste projeto e que me contaram coisas ótimas dele, decidi enviar meu interesse e, porque Deus quis assim, me aceitaram 🙂 

E enquanto me preparo para estes 3 meses e 2 semanas fora, alguns desafios que tenho tido:

  • Me manter tranquila (acho que é o maior desafio… rs)
  • Organizar coisas locais (contas, casa, banco, etc)
  • Começar a preparar a mala e separar uma quantidade de coisas que caiba em uma MOCHILA e não ultrapasse 20kg
  • Começar a me despedir (não que eu nunca mais vá voltar, mas tem que ter né? 🙂 )

Nestas 2 semanas e pouquinho que ainda tenho por aqui, preciso fazer um bom trabalho em me organizar com tempo e com os preparativos.
Como alguns (vários) amigos tem me dito – as chances de eu não voltar no tempo planejado existem, então é bom me preparar! 🙂

Bom, por hoje é só, pessoal! 
Volto em breve com novidades.

Beijos à todos.

Já está acontecendo…!

Como continuação do post anterior, meu processo de saída da zona de conforto está de fato se consolidando.

Agora é oficial!

Depois de quase 4 anos em uma empresa onde aprendi (e ainda tenho aprendido) tanto e onde conheci tanta gente especial,  chegou o momento de tomar outros rumos e dizer adeus a uma etapa tão importante pela qual passei.
Acho que nunca me demiti com tanta alegria! 😀

Passagens já compradas,  parte dos destinos definidos.

O que vou fazer é algo não exatamente comum – sair do mundo corporativo,  de uma multinacional, em busca de novas experiências neste mundo tão grande (e ao mesmo tempo, tão pequeno!). O período pode ser considerado sabático,  férias,  oportunidade de trabalho voluntário, ou missão…

Ásia era o último lugar que eu tinha em mente…! E exatamente o lugar onde ficarei por quase 4 meses – pois assim deve ser.

Ao emitir minhas passagens com destino inicial na Tailândia e final nos Emirados Árabes Unidos,  o coração acelerou e aquela adrenalina boa já começou a circular. Está acontecendo!!!

Tailândia, Sri Lanka, Emirados e etc…

Sabe aquela sensação de estar no lugar certo,  exatamente onde eu deveria estar? (não física ou geograficamente, mas na VIDA mesmo). Pois então… Estou onde Deus quer que eu esteja agora e não há sensação melhor!

A jornada/aventura se iniciará em 02/08, com término previsto para 21/11. Carregarei comigo uma mochila, menos de 20kg de roupas nela e MUITA vontade de aprender.

Tentarei ao máximo mantê-los atualizados por aqui, com o que o tempo e tecnologia me permitirem 🙂

Acompanhem, opinem,  lembrem-se de mim em suas orações…!
Sou super abençoada por ter uma oportunidade como esta 🙂

Que minhas histórias sejam inspiradoras para meus amigos-leitores.

Um abraço!

Saindo daquele lugar confortável que a gente conhece bem

image

Sim, é aquele lugar que conhecemos muito bem –  a famosa zona de conforto.
Não vou julgar aqui aqueles que poderiam viver perfeitamente uma vida inteira na situação em que estão apenas por terem medo da mudança.  As pessoas são diferentes e não podemos esperar que sejam igual a gente.
Enfim, para aqueles que tem certa similaridade com esta que vos escreve… sair da zona de conforto é o que tanto ansiamos, o que queremos mais do que muita coisa nessa vida!

Há alguns anos venho fazendo algo que não me faz exatamente feliz, profissionalmente falando, porém me dá certa estabilidade,  conveniência e comodidade.
No entanto,  com o tempo (e com a ajuda de algumas pessoas especiais que surgiram no meu caminho) percebi que a vida é uma só e não correr atrás do que pensamos que irá nos fazer feliz pode nos deixar reféns de uma vida “mais ou menos” pra sempre.
Certos clichés precisam deixar de ser apenas clichés. Aqueles como corra atrás dos seus sonhos ou faça o que te faz feliz não devem constar apenas em livros ou nos posts bonitinhos que vemos no Facebook. Tenho certeza que existe um pouco mais de meia dúzia de pessoas que, de fato, decidiram adotar tais clichés como verdades absolutas em seus modos de conduzir a vida. Por que nao eu e você não tentamos o mesmo então??

Pois bem. Decidi fazer parte do grupo daqueles que preferem os riscos de uma vida talvez incerta à comodidade da zona de conforto. Tomei uma decisão que pode ser vista por pessoas racionais demais como irresponsável,  arriscada ou loucura mesmo. Decidi que já que a vida é uma só,  vou fazer o melhor dela e, dando certo ou não (haverá um outro post em breve sobre este conceito), saberei que tentei, sabendo também que melhor é o arrependimento de ter tentado do que aquele que faz a gente pensar nos what-if’s, ou os ‘e se…’.

Terei novidades em breve que quero compartilhar aqui. Espero que com minha história eu possa motivar vocês,  queridos amigos e leitores, a fazer o mesmo.

Um abraço!

Aprendendo com pessoas

Acho que ás vezes a gente acredita que sabe tudo, ou
‘quase’ tudo. Mas a verdade é que não se para pra pensar que temos um mundo todo de coisas pra aprender.
Falo isso pois eu (assim como muitos), já passei por dias em que não acreditei que alguém mais novo, ou menos experiente, ou menos isso ou aquilo pudesse me ensinar ou agregar algum conhecimento.
Depois de ter sobrinhos e ter viajado um pouco, me dou conta que uma das melhores coisas que podemos “tirar” do outro (no sentido de sugar, absorver) é o conhecimento sobre certo assunto.
Uma sugestão de um bom livro, um café, uma dica daquelas infalíveis pra tirar uma mancha ou fazer um arroz soltinho (essa não tive a chance de aprender ainda! Rs) são exemplos pequenos e simples disso.

Lendo “O Pequeno Principe” (sugestão de uma nova amiga), notei que até com um pequeno principe temos muito a aprender ainda.

Uma das citações mais sabias do livro:

O essencial é invisível aos olhos…

O que você tem aprendido com aqueles que cruzam seu caminho?
Te desafio a me ensinar também 🙂

Beijos

Atos de Gentileza

ImageJá parou pra pensar que um simples ato de gentileza pode mudar (e muito) o dia de alguém e mais ainda o seu?

Pode parecer clichê, mas se você fizer um teste demonstrando apenas uma pequena ação de gentileza, vai perceber que vale a pena tentar.

Ao ver alguém carregando mais sacolas do que aparenta conseguir carregar, experimente se oferecer para carregar uma. Ao ceder o lugar para alguém mais velho, ou gestante, etc, em um transporte público. Segurar a porta do elevador quando ver alguém com pressa… dentre outras coisas.

Se procurarmos, sempre haverá uma oportunidade para exercitar essa habilidade.
E as recompensas são bem maiores do que o esforço colocado na pequena ação 🙂

A gentileza faz com que o homem pareça exteriormente, como deveria ser interiormente. (Jean de La Bruyère)

Um abraço.

Pela enésima vez…

Começando um blog.
Sim, mais uma vez… acho que não canso! 🙂

A verdade é que não quero guardar só para mim o que tenho visto e aprendido nos últimos tempos.
A ideia não é escrever posts clichês ou politicamente corretos, mas é de, de fato, não deixar passar em branco o que de vez em quando surge na minha mente inquieta.

Por muito tempo vivi minha vida enxergando o mundo com um olhar desconfiado, tímido, desesperançoso, cético, pensando na maioria das vezes em esperar o pior das pessoas e situações para não me frustrar com o que viesse.

Nas últimas semanas tenho aprendido a mudar esse olhar. Olhar esse que julgava, escolhia, e às vezes enganava.

Uma simples (mas não fácil tarefa) mudança de olhar pode fazer com que muita, mas muita coisa mesmo, mude ao nosso redor. Saber olhar a abundância, o que existe, o que é belo, ao invés de notar o que falta, o que é escasso, ou o que é feio (como isso pode ser definido mesmo?).

Sei que pode parecer tudo um pouco vago, mas acho que com tempo consigo explicar 🙂
O que quero dizer hoje é: “a vida é uma só!”

Como queremos fazer dela oportunidade de viver a melhor vida e construir o melhor futuro que sonhamos pra ela?

Eu estou começando a pensar nisso e quero dividir com vocês cada milha dessa viagem.

Um abraço!

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Join 803 other followers